It`s Kind of a Funny Story – O filme

Nessa minha fase conseguir se concentrar apenas em filmes leves, tenho descoberto alguns títulos bem legais, como esse que intitula esse post. Passaria completamente batido por mim, se não fosse pela insistência do modo de indicação do Netflix. Obrigada! o/

Parte dessa “recusa ” se dá pelo péssimo título que o filme ganhou em português: De “It’s Kind of a Funny Story” para “Se enlouquecer, não se apaixone”. Você já imagina um desses filmes bobos, cheios de piadas sem graça, com protagonistas tontos. Mas com um pouco de pesquisa, você percebe que se trata de um filme de tamanha sensibilidade que é difícil não se sentir tocado.

É um filme que basicamente retrata as pressões da adolescência, que podem levar à depressão. E por mais que você diga que o adolescente ainda passará por muita coisa “pior” na vida, quem não passa por pressões frequentemente na vida, não?

A simplicidade de Craig (Keir Gilchrist), um menino de 16 anos que entra numa clínica psiquiátrica e diz: “Oi, preciso que vocês me dêem algum remédio, porque estou pensando em me suicidar e se eu sair daqui sem nada, talvez eu me suicide”, mas quer no outro dia continuar sua vida cotidiana como se isso se curasse com um comprimido é “engraçadinha” e diz muito sobre como nossa atual sociedade encara o assunto.

Craig se “interna” na clínica psiquiátrica, mas como não há vagas na seção de adolescentes, ele convive com os adultos em tratamento. E partir dai a história se desenvolve. Cada ser tem um mundo, um problema, uma dificuldade de se relacionar com a sociedade. E quem não tem?

Uma das partes mais bonitas é quando ele sensibiliza um dos pacientes, um árabe, por ninguém ter entendido sua cultura até então. Às vezes as coisas são muito simples, só basta tentar compreender o próximo. E ainda é uma das maiores dificuldades das pessoas.

Vi recentemente que o filme foi baseado num livro, do Ned Vizzini. Devo ler em breve, talvez seja tão bacana quanto o “O lado bom da vida”, que novamente perdeu o brilho do título original que é “Silver Linings Playbook”.

Algo que vale muito na adaptação do livro ao filme é a trilha sonora. Cada música fofa e bem escolhida que se encontra ali, é impossível não tirar um sorriso!

Copiando a Wikipedia, segue a trilha sonora:
Not at My Best – Broken Social Scene
Smash It Up – The Damned
Happy Today – The Wowz
Icarus – White Hinterland
Where You Go – Elden Calder
The Ills – Mayer Hawthorne
Da Rockwilder – Method Man and Redman
Tourist in Your Town – Pink Mountaintops
Where Is My Mind – Maxence Cyrin
Blood – The Middle East
Check Me Out – Little Denise
Habina – Rachid Taha
Major Label Debut (Fast) – Broken Social Scene
Sweet Number One – Broken Social Scene
Intro – The XX

Mas claro, tenho que citar que um dos melhores momentos do filme e um dos melhores momentos dos filmes dos últimos tempos é essa adaptação para “Under Pressure” que você pode ver aqui. Uma das melhores coisas que vi ultimamente e que se encaixa de forma perfeita com todo o roteiro e essência do filme. Gaste uns minutos para ver:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s