Ainda, do início precoce da primavera

Final de semestre é sempre corrido. Só me dei conta de que era corrido assim quando estava na faculdade (ai, e como é bom falar disso no passado! uma das melhores alegrias da vida!), mas agora noto que é sempre assim! E quando você trata de mil coisas ao mesmo tempo, parece que o tempo corre 10 vezes mais rápido! “Final de semana” para mim virou sinônimo de domingo. Pura e simplesmente, já que sábado chego às 10:30h no estúdio de dança e só saio às 16:30h. Faço 5 aulas seguidas, meu povo. Agora como estamos em época de pré-espetáculo, a coisa ainda piora, pois às vezes temos reposições extras. E durante a semana faço aulas de kung fu em quatro dias. Meu domingo é ultra precioso. =]

E lá vou eu falar mais uma vez da falta de tempo. Para os e-mails, telefones e tudo mais. Tenho tanta coisa pendente aqui, que fico perdida. Semana que vem eu calculo que terei um pouco mais de tempo. Mas não reclamo, não, nem de longe.

O fato foi que eu pedi demissão. Nunca tinha feito isso na vida e sempre tive um baita medo de fazer esse tipo de coisa. Mas a situação no outro lugar era tão tensa, que todas as pessoas mais próximas me aconselhavam a pedir demissão. Como elas não se falaram previamente e não combinaram entre si, o fato de todas elas darem a mesma opinião acho que significava algo. Resolvi arriscar. Com as pernas tremendo, entrei na sala da ex-chefe e disse que queria minha demissão. Ela mal questionou o porquê (era tão óbvio!) e me pediu para falar com o RH e ver um modelo de carta. Mas a minha já estava prontinha na bolsa, elaborei tudo com antecedência. E sai de lá ainda com as pernas cambaleando, sem emprego novo em vista, sem dinheiro, precisando de um milhão de reais (bom, isso não mudou até agora!). E 4 dias depois, enquanto meu cachorro despencava da laje, recebi uma proposta de emprego que no momento era meu sonho de consumo! Bem, uma semana depois de pedir demissão estava contratada! Agora sou uma pessoa que trabalha com endomarketing, numa empresa mega fofa, numa oportunidade mega fofa e com um chefe mega fofo. Meu trabalho é proporcionar “mimos” aos colaboradores da empresa. E nessa semana tudo está corrido, porque estou num evento fora da empresa. É um campeonato de video game para alguns colaboradores que trabalham em um cliente. Tenho que ficar jogando Xbox com eles, é muito triste. :-P

Mas é isso. Fiquem ai com uma foto embaçada (mas feliz) do meu último exame do kung fu. É do final do exame, final da parte de teste de resistência física, o cavalo.

O kung fu

O kung fu

Anúncios

Mãe é mãe.

Bronca de mãe nos meus cinco minutos de “vou morrer de vergonha” ao ver meu video na internet: “Eu ficaria toda exibida! Deixa de ser besta, a gente tem que fazer alguma coisa pra ver se melhora a vida”.

Mas não… botar aqui o link do video é DEMAIS pra mim. Nem vem! :-P

Essa coisa de “primeira apresentação às pressas/produção de dança/fotos/videos na internet” é demais pra minha cabeça! Eu sou caipira, pô!

Coisas que você põe em prática quando entra nos trinta…

* Não se envolva com moleques.
* A vida passa muito, mas muito rápido. Não perca seu tempo.
* Praticidade é uma riqueza. Tenha isso na sua vida.
* Amigos são tudo.
* Viva tudo o que há de se viver, mas tome as rédeas do seu coração.
* Essa história de “faça o que o seu coração mandar” é uma grande bobagem. Ele não sabe de nada.
* Não se envolva com meninos com menos de 30.
* Quem vive de passado é museu e cemitério. Se alguém vive de passado e reencontra alguém que também vive de passado… bem… eles se merecem!!
* Atitude é tudo. Se você não tem, então nem perca seu tempo falando comigo, ok?
* Não se envolva com moleques.
* Homens de verdade existem. Eles fazem você se sentir a deusa mais importante do universo. E são inesquecíveis. Porém, são patrimônio vivo da humanidade e não são para se apaixonar. =)
* Não se envolva com moleques.
* Follow your bliss. Agora! My Bliss = Minha dança (Agora, dança tribal e dança do ventre, minha gente). =D
* O que acontece é sempre o que tem que acontecer. Faça por onde acontecer coisas boas, que elas vêm.
* Enquanto você puder rir das desgraças que acontecem na sua vida, sua vida está valendo a pena.
* Cuide da sua postura, ou você pode ter lordose.
* Não se envolva com moleques.
* Como diria o irmão de uma amiga: “Pessoas idiotas fazem idiotices”. É da sua natureza.
* Ouça muita música, leia muitos livros, veja muitos filmes, tome muita cerveja e muito café e ganhe muitos presentes.
* Aprenda o sentido daquele ditado inglês: “Take it as it comes”.
* Pro inferno com o Balzac!!! :D
* Parafraseando a Florzinha, que parafraseou a Debra: “Tô feliz pra caralho!!!”

Da série: “Tá enchendo a porra do saco com essa coisa de providencial”

Sentimentos congelados, criatividade congelada
As mulheres lidam com o isolamento de outras formas. Como o patinho que fica preso no gelo do lago, elas se congelam. O congelamento é a  pior atitude que uma pessoa pode tomar. A frieza é o beijo da morte para a criatividade, para os relacionamentos, para a própria vida. Algumas mulheres agem como se conseguir ser fria fosse um grande feito. Não é. É um ato de ira defensiva.
Na psicologia arquetípica, estar frio representa não ter sentimentos. Há histórias da criança congelada, da criança que não conseguia sentir, dos corpos presos no gelo, durante um período em que nada podia se mexer, nada podia se transformar, nada podia nascer. Um ser humano congelado significa que ele está propositalmente sem sentimentos, em especial para consigo mesmo, mas também e às vezes ainda mais para com os outros. Embora seja um mecanismo de autoproteção, ela prejudica a psique-alma, porque a alma não reage ao gelo, mas ao calor. Uma atitude gélida apagará o fogo criativo da mulher. Ela inibirá a função criativa. (…)
Portanto, qual é a solução? Aja como o patinho. Siga em frente, supere tudo com a luta. Apanhe logo a caneta, comece a escrever e pare de resmungar. Escreva. Pegue o pincel e, para variar, seja má consigo mesma: pinte. Bailarina, vista sua malha, amarre fitas no cabelo, na cintura ou nos tornozelos e diga ao corpo que se mexa. Dance! Atriz, dramaturga, poeta, musicista ou qualquer outra. Em geral, pare de falar. Não pronuncie mais uma palavra sequer, a não ser que você seja cantora. Tranque-se num quarto com teto ou numa clareira sob os céus. Exerça sua arte. Sabe-se que o que está em movimento não se congela. Por isso, mexa-se. Vá em frente.”
[Mulheres que correm com os lobos. Clarissa Pinkola Estés. Livro que TODA MULHER deveria ler todos os dias]